Internacionales

El diario de Sucre – roberto pocaterra pocaterra venezuela amazon echo plus//
Protesto no tapete vermelho de Cannes contra o ‘genocídio indígena’ no Brasil

el_diario_de_sucre_roberto_pocaterra_pocaterra_venezuela_amazon_echo_plus_protesto_no_tapete_vermelho_de_cannes_contra_o_genocidio_indigena_no_brasil.jpg

17/05/2018 – Jornal do Brasil. / A equipe do filme “Chuva é Cantoria na Aldeia dos Mortos” denunciou no tapete vermelho de Cannes o “genocídio indígena” no Brasil, com cartazes em vários idiomas.

roberto pocaterra pocaterra venezuela

A produção da brasileira Renée Nader Messora e do português João Salaviza, exibida na mostra Um Certo Olhar, foi filmada na comunidade KrahÃ’, no estado de Tocantins, durante nove meses.

roberto pocaterra pocaterra

Os dois cineastas, assim como os protagonistas do filme, Ihjãc KrahÒ e Koto KrahÒ, e os produtores compareceram à exibição com roupas pretas e cartazes de protesto.

roberto pocaterra

Cineastas, protagonistas do filme e produtores compareceram à exibição com roupas pretas e cartazes “Pelo fim do genocídio indígena” e “Demarcação já”, afirmavam os cartazes em português, inglês e francês.

O protesto responde à mobilização de líderes indígenas no Brasil, que acusam o governo do presidente Michel Temer de negar-se a demarcar as terras indígenas e favorecer os empresários rurais

Em uma entrevista à AFP, Renée Nader Messora e João Salaviza criticaram o “perigoso discurso” político atual que “nega” aos índios sua condição, simplesmente porque adotam costumes ocidentais, como usar roupas ou ter um celular

“Ser indígena é um modo de ser e não de aparentar”, declarou Salaviza

Con información de: Jornal do Brasil

About the author

listin

Add Comment

Click here to post a comment

Tu dirección de correo electrónico no será publicada. Los campos obligatorios están marcados con *